Você é o meu karma

30/06/2015
Postado por Marina Barbieri

karma
Sabe aquele lance de que aqui se faz, aqui se paga? De que tudo volta pra você? Manja Karma? Então, estava aqui pensando e acho que você é o meu.

Não vai pensando que é papo de vidas passadas nem qualquer outra baboseira dessas não, por que você sabe muito bem que eu não sou o tipo que acredita nessas loucuras de gente desesperada. Karma é outro lance, meu amigo. Karma é Newton. É ação e reação. Física purinha. O que a gente faz, uma hora, de algum jeito, volta. E só nos resta aceitar, né? Pois é, estou conformadíssima.

Não tem como fugir. Estou recebendo agora o troco da vida em moedas de um centavo. Admito que o bolso já está cheio, mas enquanto você continuar dando esses sorrisinhos de canto de boca e olhando para o chão, eu vou continuar arrumando espaço.

Você é o que eu fiz ontem. Você é as vezes em que gritei com a minha mãe. Você é os caras com quem fui leviana. Você é o mendigo que eu passei reto na rua. Você é aquela menina gordinha do ensino fundamental que eu apelidei. Você é a mentira que eu contei. Você é a bala que eu escondi dos amigos. Você é o segredo que eu não guardei. Você é a traição que eu cometi. Você é a amizade que eu não preservei. Você é a planta que eu deixei morrer. Você é todos os pecados que eu cometi e ainda estou cometendo. Você é o meu Karma e eu mereço você.

Eu mereço cada pedra de gelo dentro de você. Lembra daquela vez em que eu tive que sair do quarto para não explodir e voltei ainda mais fora de mim? Eu mereci isso. Ou então todas as vezes em que você nem por um segundo cogitou a possibilidade de pensar em mim antes de agir e falar? Eu mereci. Se torna desnecessário dizer que eu também mereci aquele soco que pegou bem no meio da auto estima e me tirou o ar por um dia inteiro. E sabe agora quando mesmo depois de tudo você não se arrepende de nada? Pois é, eu continuo merecendo.

Eu tenho uma dívida à pagar. Talvez mais de uma. Realmente não sei. O caderninho de cobranças da Senhora Vida chegou na minha página e ela mandou avisar que não parcela. É no débito mesmo que é pra sentir indo embora tudo de uma só vez. Uma facada só. Profunda e dolorosa, mas dose única. Minhas economias de paciência e equilíbrio estão indo embora, e pelo visto acabarei no negativo. Sinto que os dias vieram intermináveis. Posso apostar que só nesse mês já passaram uns três Junhos.

Não sei a quem devo me reportar, mas já deixo avisado que me esforçarei para ser uma boa menina daqui pra frente.

E quer saber como tudo isso terminará? Como nós dois terminaremos? Da exata forma como começamos: como estranhos.
O que vai acontecer é que em um dia, igual a qualquer outro, a vida decidirá que a minha dívida estará sanada e então quando você for apenas você mesmo, a minha cota já estará preenchida até o limite e você voltará a ser apenas mais um entre sete bilhões. E sabe o que acontecerá depois? Você tropeçará na sua própria dívida.

Hoje você é o meu Karma, mas amanhã quando você esbarrar comigo por acidente na rua e se perguntar o que teria sido de nós se tudo tivesse sido diferente, eu serei o seu.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: