Sonhei

22/11/2016
Postado por Denis Araujo

eternal-sunshine_image_tumblr

De repente despertei. Sonhei com você. Foram muitas conversas nas nuvens do nosso sono. Foram muitos beijos entre os nós das nossas línguas faladas e sentidas. Foi pintando o céu de azul que descobri que tem galáxia no céu da sua boca. Foi pulando entre os planetas que descobri que tem sua boca nos meus sonhos. E que boca. E que sono bom.

Sonhei com um beijo teu e acordei com a boca seca. Acordei com sede de te ver, sede de te sentir, sede de te conhecer além do que meus olhos já sobrevoaram. Acordei com vontade de mergulhar nesse mar de você, nadar com braçadas largas e compridas nas curvas dos rios que percorrem suas costas nuas nessa luz de meia-noite. Despertei com desejo de te ver, te sorrir, me invadir, te abraçar, te pegar, me amarrar e assim ficar. Acordei desperto, com tesão de vida, de gritar amor, de fazer amor, de saber que a falta de açúcar no meu café combina com teu descafeinado e que só vamos embora amanhã – não hoje.

Hoje eu só quero saber desse sonho, em que sonhei com seu beijo, acordei com a boca seca e um sorriso tímido nos lábios. Aquele riso bobo de quem lembra das luzes que refletiam no seu rosto entre uma música ou outra e você nem sabia de nenhum dos meus segredos. Quero te contar sobre eles. Quero te guardar num abraço, fazer morada entre a linha do seu cotovelo e a primeira pinta que surge no seu antebraço. Quero ficar ali só um pouco mais, enquanto você me conta sobre o seu dia, eu te conto sobre o meu e a gente faz uma tarde sem faz-de-contas. Sem fazer de conta que sinto, que sentes, que sentiram por nós e que a gente não sente nada. Porque a gente sente. E sente muito.

Não te dei a chave do meu peito. Te dei um ingresso pra festa que é meu coração quando bate forte. Puxa aqui uma cadeira, deixa eu te contar que sonhei contigo nessa noite, que teu perfume ficou em mim e que os pesadelos não tiveram vez dessa vez. Posso apagar a luz desse abajur pra te embalar num sono bom? A gente se ilumina pelas estrelas e pelas luzes dos nossos planetas.

No céu da sua boca têm universos inteiros. Se o astronauta chegou à lua, espero chegar no teu coração um dia desses. Não quero fincar bandeira, mas quero contar no pé do teu ouvido que te amo. E quero contar pra mim mesmo que eu consegui.

Amei de novo.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: