Sobre pontos finais

26/07/2016
Postado por Denis Araujo

_MG_9742_2_denis

Amanhã nós vamos terminar. E estou aqui me convencendo de que isso é o melhor que posso fazer por mim. Por nós. Por tudo aquilo que já fomos um dia e por tudo aquilo que não podemos ser. Amanhã nós vamos terminar e este sou eu me convencendo disso.

Porque sei que não é minha tarefa te convencer de nada. O que posso fazer é ser honesto, afinal, isso é o mínimo que se espera em uma relação. E vai doer. Terminar nunca é fácil. Não será fácil pra mim pois serei eu o primeiro a dizer que não dá mais, após nossa discussão de manhã durante o café. E não será fácil para você, que sempre soube como amenizar e jogar para baixo do tapete tudo que existe de errado entre nós.

Sabe, amanhã nós vamos terminar. E enquanto toca no rádio a nossa música e eu deito aqui ao seu lado, espero que você esteja embalada em um sono bom. Você sempre dormiu profundamente, enquanto sempre fui aquele que virava e revirava na cama, preocupado com tantos problemas. Agora que nós vamos terminar, sei que essa noite dormirei com a consciência tranquila pois, até aqui, dei meu melhor por esta relação.

E eu te amo. Seria muito ingênuo da minha parte dizer que não sinto nada por você. Mas amor não sustenta um relacionamento. Amor, sozinho, é um pássaro voando em direção a lugar algum, sem ter onde pousar, nem lugar para se aninhar. Qualquer ventania o balança e um furacão o derruba. Nenhuma relação sobrevive somente de amor.

Amanhã nós vamos terminar. Estou cansado dos jantares na casa dos amigos, em que parecemos bem sem realmente estarmos. E quando foi a última vez em que estivemos? Sim, fomos muito felizes juntos. Seria errado da minha parte ficar pesando no presente e esquecer-me de todas as melhores coisas que vivi nos últimos tempos. Mas sabe, boas memórias e tudo aquilo que fomos um dia não serão capazes de sustentar o que seriamos daqui pra frente. As boas memórias de um relacionamento desbotado são como as melhores páginas de um livro mediano, em que sempre serão lembradas por quem lê e somente isso. E eu quero lembrar daquilo que foi bom.

Porque amanhã nós vamos terminar. E o problema aqui é sim você e também sou eu. Todos aqui erramos demais e hoje percebo que não existem culpados. Não há culpa no amor. O que existe é uma falta de cumplicidade, uma ausência de parceria, uma boa dose de mentiras e uma grande pitada de imaturidade. O tédio vai à gosto. E nessa receita, nós dois não vamos mais ficar na mesma panela porque não quero me queimar dentro do esquecimento.

Porque amanhã vamos terminar. E vai doer. Mas toda dor reconstrói, toda dor ensina. E se eu aprendi uma coisa nisso tudo é que eu te amei muito, o suficiente para perceber que não posso continuar ao seu lado. Talvez você já tenha percebido ou o fará com o tempo. Aqui não ficam remorsos. Ficará, sim, um sentimento amargo de querer que essa relação tivesse dado certo, afinal, viver anos ao lado de alguém significa escrever uma história e eu sempre sonhei com um final feliz.

Mas foi bom enquanto durou. Tirando tudo que deu errado, tudo deu certo. Não quero fazer contas, não quero revirar todo nosso baú. Eu só quero terminar. Dá medo, mas vou com medo mesmo. Tenho muito mais medo do que fazemos conosco todos os dias. E é por isso que amanhã vamos terminar.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: