Sobre o Pensamento da Raposa

23/05/2016
Postado por Convidado

pequenoprincipe2

Creio que a raposa foi mal interpretada, ou se não, tenho que admitir que não concordo inteiramente com a opinião dela. Desculpe-me,  Antoine, não acho que alguém seja eternamente responsável por aquilo que cativas, a não ser que o seu esforço para cativar seja maior que o seu cativo natural.

Acredito que se a pessoa cativa outra pelo simples jeito de ser, aquele sorriso de lado, aquela barba rala que encosta na sua bochecha e te deixa marca, o suspiro perto do ouvido, a voz, o toque, o jeito de pegar, a risada gostosa, a conversa fácil, o jeito de andar, o silêncio que te acomoda. São características inerentes da pessoa pelas quais você, por conta própria, se apaixonou. Bobo do seu coração que se apaixona sem perguntar se pode.

A diferença existe quando a pessoa se esforça para te cativar, para deixar seus olhos presos no dela – de propósito. Uma carona para jantar, um lugar romântico, a conta paga, abrir a porta do carro, o beijo na mão, o beijo na testa, uma caixa de chocolates – que, sim, vai ficar para a história – um “acho que estou gostando de você”, outro “gosto de você”, mais um “quero te ver” e outro “quero te ver de novo”. Ela se esforça para te cativar até você ter aquela curiosidade de como seria estar com ela. Ter aqueles beijos na testa todos os dias, aquele afago nas costas, o cafuné na cabeça, as caronas para mais jantares, o som da voz dele dizendo “você é diferente”, as mensagens de bom dia seguidas do apelido secreto de vocês dois.

Então, raposa, talvez você tenha realmente sido mal interpretada. A pessoa só é eternamente responsável por aquilo que cativas se o desejo dela for cativar.

Bobo foi o meu coração, que até conheceu alguém que se esforçou para conquistá-lo, mas não pôde responsabiliza-lo pelo dano que deixou para trás, pois já havia se apaixonado pelo cativo natural.

Então, querido coração, a raposa sendo mal interpretada ou não, pouco importa, pois neste singelo caso, você se fudeu por conta própria.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: