Se cuida

11/03/2016
Postado por Marina Barbieri

girlhome

Ainda consigo ouvir você dizendo: se cuida!
E eu me cuidei. Me cuidei para não cair. Para não desmoronar. Para não me desfazer. Para não adoecer. E principalmente para tentar acreditar.
E por pouco eu quase consegui.
Caí algumas vezes. Desmoronei outras. Mas não acreditei em nenhuma.
Você entende, não entende?
É difícil acreditar que alguém que escolheu ir embora esteja realmente preocupado com o cuidado de quem fica.

Eu me cuidei porque você não cuidaria mais. E fazer o que? Tive que me cuidar. Na força. Na marra. No tranco. No susto.
E é por isso que eu não me aproximo mais de você.
Porque eu tenho que me cuidar. A cada dia. A cada minuto. A cada segundo.
A vigilância de um coração partido não dá trégua.
Eu vivo em estado de atenção. Para não ceder. Para não explodir. Para não te procurar.

Já imaginou se eu te procuro e vomito tudo o que ficou entalado desde o seu ‘se cuida’?
Seria uma bagunça de proporções inimagináveis.
É perigoso eu me descuidar.
Você não quer correr o risco de sujar o seu tapete novinho com restos não digeridos de amor não correspondido, rancores passados e decepções ainda vivas, não é?
Tudo bem. Não te julgo. Eu também não quero.
Esse cheiro de ‘poderia ter sido’ me embrulha o estômago.

E agora eu não sei como vai ser.
Desde que você me devolveu a tarefa de cuidar de mim eu não sei mais.
Eu tento. Continuo na academia. Tenho visitado a minha mãe.  Consegui economizar dinheiro. Fecho as janelas antes de sair de casa. Chego cedinho no trabalho. E juro que to até estudando mais.
Tá vendo só? Eu tô me cuidando.
Ou pelo menos tentando.

Mas me diz, como cuidar desse rombo enorme que você deixou nos meus dias?
Como cuidar de um coração esfarelado por todo o chão da vida?
Como cuidar da sua ausência que já ocupa a casa inteira?
Vai passar.
Eu sei que vai.
Mas enquanto não passa, como eu me cuido?

Você, de longe, não enxerga. Não vê.
Parece que está tudo bem. Mas não está.
É preciso estar perto. É preciso enxergar até os poros.
É preciso se importar.
Mas não existe um pingo de preocupação em um “se cuida”.
Porque essa é a frase que as pessoas falam quando já não se importam mais.
Você já não se importa mais.
Enquanto eu… Bem, eu continuo a me cuidar.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: