Hoje eu quero saber

03/05/2016
Postado por Denis Araujo

_MG_0164_1_denis

Há quem diga que nenhuma boa decisão é tomada após as duas da madrugada. Também há quem diga que não se toma nenhuma atitude inteligente após beber. Certamente, quem disse isso deve tê-lo feito após provocar um furacão em algum ponto da sua vida, depois de viver, morrer e renascer em um porre por aí. Já ouviu falar que não se deve ligar para ninguém depois de passar de meia garrafa de vinho? Mas e quando a vontade bate, a garganta seca e o telefone já está em mãos?

Ah, não sei o que estou pensando. Sei lá, me atende vai, eu sei que você está aí. Ainda está cedo, está frio e minha cama parece tão maior agora que te liguei. Parece que esses edredons vão me sufocar sem sua presença aqui para me enrolar. Quero que me fale de você, da sua vida, por onde tem andado e se pensa em mim. Quer dizer, se pensa naquela sua série favorita que passa na HBO todo domingo. Queria que soubesse que te quero. Ou melhor, queria que soubesse que estou feliz, conhecendo o mundo como disse que faria, quando te contei que vivia o melhor da minha vida: independente, comigo e mais nada.

Me atende! Sei que está tarde e que talvez não seja a melhor hora para falar. Mas é que eu quero me arrepender só amanhã, não hoje. Só preciso dizer, preciso saber. Resolvi que, por uma hora, não vou mais fingir que você foi apenas uma noite e mais nada. Me desarmei para dizer que minha nuca arrepia toda vez que lembro daquela vez, daquele abraço apertado de me amarrar no seu colchão. Naquele beijo de me tirar o ar e o sentido de fazer qualquer sentido nessa ligação. Me deixei levar pela música que tocava naquela caixa de som aos pés da sua cama, que ficou coberta pelas nossas roupas ali mesmo, esbarrando na garrafa que dividimos e na vontade que compartilhamos.

Me atende porque não quero ser a pessoa que te liga quando bebe, mas sim, a pessoa que toma cerveja ao seu lado e não desliga de ti a todo momento. Fala comigo, logo vou cair no sono e sei que amanhã não vou querer lembrar que te liguei, que pensei em você do jeito que penso agora. Porque a gente só telefona para alguém no meio da madrugada após cinco taças de vinho para ser sincero. Para dizer que quer, para dizer que tem vontade, para dizer que sente.

Mais do que isso, a gente liga para confirmar que não esqueceu. E eu quero te dizer que, por mais que afirme que a vida segue e que estou bem assim, melhor seria se estivesse com você. Não me importa se por um dia, uma semana, um mês ou um ano. Hoje preciso te dizer. Porque, como diz a música, a noite é feita para falarmos aquilo que não falamos durante o dia. E hoje eu quero saber. Sim, hoje, porque amanhã você vai me perguntar e eu vou dizer que esqueci.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: