Hoje eu acordei com saudade

03/08/2017
Postado por Rafael

Hoje acordei com saudade.
Sei lá, foi uma sensação tão estranha que talvez eu não consiga transmitir em palavras.
Saudade daquela voz suave, capaz de despertar até mesmo o mais zangado dos homens, com um baita sorriso no rosto.
Saudade dos carinhos, capazes de acalmar qualquer situação, e fazer a alma viajar feliz, pra longe do corpo cansado.

Senti saudade do cheiro, indescritível, que anunciava a chegada a km de distância.
Saudade da preocupação, do companheirismo, da parceria exagerada, das brigas desnecessárias.
Saudade do gosto do beijo, do toque sensível, da agressividade entre quatro paredes.
Saudade do bom dia logo nas primeiras horas, e do boa noite antes de dormir, que vinha pontualmente, independente de como o humor estava.
Saudade das brincadeiras, das mordidas, do puxão de orelha nas cagadas frequentes.
Eu senti saudades.

A vida realmente é uma caixinha de surpresas, e por mais que saibamos das idas e vindas do destino, ninguém jamais estará preparado pra sentir isso.
Que sintomas são esses, meu deus?
Um tremendo nó no peito, uma engasgada que dói, esse maldito frio na barriga, a falta da pessoa ao lado.
Eu tô pirando!
Por que cargas d’água eu permiti que nossos destinos fossem descruzados?

Sim! O destino é a ponte que nós criamos entre o que somos e o que queremos.
Eu queria, mas deixei ela partir, ou melhor, não insisti o bastante.
Não serei hipócrita de culpar Deus pela perda, ou simplesmente me confortar ao argumento de que não era pra ser. Era sim! E talvez eu morra imaginando como seria essa história, que matamos tão prematuramente.
Talvez era pra ser, pra dar certo, pra vivermos juntos e felizes pra sempre.
Talvez era pra formarmos uma família, sermos confidentes, termos netos, bisnetos e morrermos sentados juntos numa varanda qualquer, as margens daquele pôr do sol incrível, que eu te mostrei um dia, ao pé da serra.

Hoje eu acordei com saudade.
Talvez ela cesse por um tempo, ou talvez retorne amanhã, no meio da tarde, numa rua qualquer, olhando pra qualquer objeto que me lembre esse sorriso lindo que você tem, e que sorriso!
Maldita hora em que eu fui me apaixonar por você.
Bendita hora que eu me esbarrei em você.

Obrigado Deus, por permitir que eu tenha convivido com ela, e desculpa Deus, por não lutar para que as suas bençãos tenham recaído sobre nós, num domingo a noite, olhando pra ela, vestida de branco, com os olhos pulsantes, linda, cheirosa e feliz, prestes a dizer um SIM.
Hoje eu dormirei com saudade.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: