Happy hour

23/05/2017
Postado por Denis Araujo

Que chuva, estou ensopado. É verdade, se eu carregasse meu guarda-chuva comigo isso não aconteceria, mas sempre o esqueço atrás dessa porta. Não, não, não se levante. Deixe que eu esquento meu jantar. E se a gente pedisse uma pizza? Não, não se incomode. O dia foi difícil. Mas o que tenho para lhe dizer é mais ainda. Eu te traí. Desculpe te contar isso assim dessa forma, logo hoje que tínhamos combinado de jogar cartas e tomar vinho. Acredite se quiser, mas isso dói muito em mim. Afinal, é você. Afinal, sou eu. Afinal, somos nós. Posso tomar um banho e já conversamos? É que estou ensopado e faz um frio danado lá fora.

Tudo bem, fico aqui mais um pouco. Sim, te traí com ela, sim. Nova no escritório. Happy hour de quarta. Te traio com ela desde o início do ano. Happy hour de quinta. Cerveja, roda de amigos, ela do meu lado, minha mão em sua perna. Dedo no copo de gin tônica, dou risada em seu pescoço e ela gosta, não sei porquê. Bom, e o resto você já pode imaginar. Não, não quero que imagine, retiro o que disse. Não retiro sobre a parte que traí porque isso realmente aconteceu. Acontece.

Não, ela não é melhor que você. Quero dizer, o que quer dizer? Melhor em quê? Na cama, bom, na cama ela não é melhor, mas nós somos melhores juntos. Ela me chupa melhor, não nego. Mas gosto mais de você, do teu gosto, teu toque e teu calor. Mas é que esfriou aqui e ela é banho quente. Não, eu não quero um banho quente. Ou melhor, preciso de um agora, chove lá fora e estou ensopado.

Sim, no happy hour de sexta. Foi nele que tudo começou. Naquele em que você não pôde ir. Não, não é culpa sua, nada disso. Foi até melhor. Eu não queria voltar pra casa cedo, ela tampouco. Mas voltamos. Pra casa dela, quero dizer. Fomos pra lá. Isso, happy hour de sexta. Aniversário do chefe, sabe como é, todo mundo fica até um pouco mais tarde. Tem gente que até perde o trem. O Fabiano teve que voltar de táxi, coitado. Mas desculpe, acho que desviei do assunto aqui. Eu te traí. Eu não sei se você já fez isso comigo, mas me perdoe. Eu fiz isso e não há nada que eu possa fazer para voltar atrás.

A casa? Pode ficar com ela. Vou continuar pagando minha parte do aluguel até Julho, quando o contrato vence. Sim amor, ela tem os cabelos vermelhos. Acho que ela os pinta, mas não a chame de falsa. Você nem a conhece para dizer isso. Sim, ela gosta de transar no carro, gosta de falar putaria no meu ouvido e de que apertem seu pescoço. Não, eu não quero apertar o seu. Não amor, não é culpa sua. Ok, não vou te chamar mais assim, mas, por favor, entenda que não é culpa sua. É verdade, eu não queria fazer isso com você, mas fiz isso comigo. Não é pra você, foi pra mim.

Bom, agora que disse o que precisava, vou arrumar minhas coisas. A escova de dentes já está na mala desde a semana passada. Também não sobrou nada na gaveta de copos e nem no cabide das camisas novas.

Preciso me apressar, afinal, hoje é happy hour de terça.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: