[Divã DR] Minha ex amiga

03/07/2016
Postado por Divã DR

examigas

Da caixa de e-mail do Deu Ruim:

“Oi Marina, hoje vim desabafar sobre uma velha amizade e escolhi você para isso.
Eu e essa minha amiga, nos conhecemos no colégio em 2004. Na primeira serie, com apenas 6 anos e viramos as melhores amigas. Onde tinha ela, tinha eu. Era uma na casa da outra, nas viagens de família, em tudo!! Mas ela sempre teve uma mania de arrumar novas amizades e me deixar de lado, na escola mesmo era sempre com alguma novata e eu acabei me acostumando porque era coisa de momento e ela sempre voltava a ser aquele minha melhor amiga de sempre. Isso aconteceu durante todos os anos de nossa amizade, mas de um ano pra cá eu já não reconheço mais ela ou não quero enxergar a verdade (NÃO SOMOS MAIS AMIGAS). Ela mais uma vez juntou com uma nova amiga e me deixou, não mandava uma mensagem nem nada. É estranho seguir sem ela, já procurei algumas vezes e ela sempre fala “não sumi, vou aparecer, etc”… Essas desculpas de sempre, sabe? Tenho minha consciência limpa de que não fiz nada! Sempre que passo mal ela pergunta o que aconteceu essas coisas mas não participa do meu dia a dia. Confesso que não procuro ela já faz tempo ate porque ela sumiu porque quis. Só que essa semana ela postou no snap que estava trocando as fotos do mural e vi que não tinha mais nenhuma minha. Será que já não existe mais eu na vida dela? É ruim não saber mais da vida de uma pessoa que me conhecia 100%, melhor que ninguém e que sempre estávamos juntas e hoje em dia se nos vermos na rua no máximo um “oi”. Acha que devo procurar e tentar entender o que aconteceu?


 Marina responde:

Querida ex-amiga-abandonada-sem-fotos-no-mural,
não acho que você deva procurar a ex-amiga para resolver nada. Por um motivo muito mais simples do que você imagina: não há nada para ser resolvido.

Você mesma tem certeza de que nada aconteceu para um afastamento por mágoa. E eu acredito realmente que você não tenha feito nada. Então essa hipótese está descartada. Sendo assim, não há nenhum problema entre vocês duas.

E sabe o que aconteceu para o afastamento de vocês? Aconteceu uma coisa, que sempre acontece, chamada vida.
Pois é, às vezes as pessoas se afastam naturalmente sem que tenha acontecido um atrito justificável. E isso é completamente normal. Não há culpados. Não há o que resolver. Não há nada.

Não pense que a sua amiga não gosta mais de você ou que ela tenha te descartado da vida. Não é isso. Tenho certeza que você ainda ocupa um lugar especial no coração dela. Pode ter certeza. Entenda que não é porque ela não te procura mais todos os dias que ela não te ame mais.

Você já se perguntou o porquê das pessoas se tornarem amigas? O que as atrai e o que as une?

Acredito que o ímã de uma boa amizade sejam as coisas que os dois lados possuem em comum.
Se vocês tem pensamentos, sentimentos, intenções, gostos e até vidas similares, são fortes as chances de se tornarem amigas.
Não estou dizendo que pessoas precisam ser iguais para serem amigas. De modo algum.
O que estou dizendo é que elas precisam ter um elo em comum de extrema grandiosidade e força. Pode ser algo banal (gosto musical, literário, etc) como também pode ser algo importante (caráter, ideologia, política, etc). Mas alguma coisa em comum elas precisam ter. E essa coisa tem que ser forte o suficiente para mantê-las conectadas.

Mas ás vezes, cara leitora, esse elo que une a amizade de duas pessoas, acaba. Morre. Desvia. Muda. Deixa de existir.

Veja bem, vocês se conheceram aos 6 anos. Provavelmente nessa época dividiam gostos como desenhos, programas de TV, lugares e hábitos em comum, não é?
Repare que na infância ninguém tem uma personalidade formada ainda. Então o que uma pessoa é na infância, dificilmente se manterá após ela.
Agora pense como estão os seus gostos hoje em dia. Você ainda mantém igual aos da sua infância? Você ainda brinca com bonecas, ainda assiste programas infantis, ainda gosta que a sua mãe te dê comida na boca, ainda faz xixi na cama, ainda tem medo do escuro, ainda usa babador e mamadeira?
É óbvio que não! (Se sim, corre pro psiquiatra!)
E sabe porque você, e nem ninguém mais, mantém os mesmos gostos da infância?
Porque as pessoas crescem e amadurecem. As pessoas mudam. E nem sempre a mudança pode ser definida como “para o bem” ou “para o mal”. Às vezes a mudança é só mudança e pronto. Não é culpa de ninguém. É a vida. E tá tudo bem.

Você mudou. E a sua amiga também. Mas talvez a mudança pessoal que cada uma de vocês teve, não tenha sido a mesma. Talvez você tenha caminhado para um lado e ela para outro. Talvez vocês sejam pessoas que não possuem mais nada em comum. Talvez vocês tenham se tornado tão diferentes que a amizade de vocês não teve mais motivos para se manter.

Sabe, eu tenho um grupo de amigas formado desde a época da escola, quando tínhamos 11 anos de idade. Optamos por manter esse contato até hoje, quase 20 anos depois. Nos falamos regularmente pelo Whatsapp e Facebook.
Todas nós mudamos muito. Crescemos, definimos nosso caráter, nossos gostos e nossas ideias. Algumas compartilham de algumas dessas coisas comigo. Mas outras, não.
Algumas eu ainda encontro, saio e gosto de conversar. Mas outras, não.
Algumas se eu conhecesse hoje em dia eu adoraria me aproximar e me tornar amiga. Mas outras, não.
Algumas fizeram e ainda fazem parte da minha vida. Mas outras, não mais.

E está tudo bem. Nenhuma de nós se sente chateada por isso.
Nossas vidas seguiram. E por mais que algumas amizades não se justifiquem mais hoje em dia, todas nós temos um passado em comum. E todas nós somos extremamente gratas à ele.
Amamos-nos pela história que temos juntas e não precisamos forçar uma amizade hoje em dia para provarmos que nossa amizade foi verdadeira e concreta na infância e adolescência.

O ser humano tem um grave problema com os fins das coisas. O ser humano não sabe dizer adeus, não sabe se desvincilhar, não sabe simplesmente continuar. Tem sempre muita dor envolvendo o seguir em frente. E muita dor desnecessária. A vida é feita de ciclos que se acabam para que outros possam começar. É a ordem natural das coisas. A vida é assim. E não precisamos encara-la sempre com tanto sofrimento.

Dizer adeus para essa amizade, não significa dizer adeus para essa pessoa.

É provável que a amizade de vocês nunca mais seja a mesma. É provável que vocês não se vejam mais todos os dias, que não se telefonem mais todos dias, que não saibam mais de tudo da vida uma da outra, e que não saiam mais juntas todo final de semana. Mas o espaço que vocês conquistaram uma no coração da outra é imutável. O passado nunca mudará. E toda a gratidão e carinho por uma ter feito parte da vida da outra estará sempre lá. Vocês mudaram, mas o amor e o carinho de vocês não. 

E essa é a coisa mais maravilhosa das relações humanas. Uma vez que você toca a vida de alguém, essa vida nunca mais será a mesma. Essa pessoa nunca mais se esquecerá de você. Não importa se você está do outro lado da rua ou do outro lado do mundo. As relações que formamos com as pessoas não precisam ser eternas, porque o bem que fazemos a elas, sempre será.

E daí se vocês não são mais melhores amigas hoje em dia? Seja grata e satisfeita por vocês já terem sido. Em algum momento de suas vidas, vocês tiveram uma conexão tão grande e forte que entre 7 bilhões de pessoas no mundo, uma escolheu a outra como a sua pessoinha preferida. E isso é maravilhoso sem que precise carregar a obrigatoriedade de se manter hoje em dia.

Então do que mesmo você estava reclamando?

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: