Como identificar relacionamentos abusivos

16/06/2017
Postado por Marina Barbieri

Agressão física é fácil de ser reconhecida. É um tapa, um soco, um empurrão, um beliscão, uma segurada com força. Por mais que possa ser minimizada, ela ainda é mais fácil de ser reconhecida do que agressão psicológica.

Agressão psicológica às vezes é bem sutil. Às vezes começa tão pequena e escondida que após anos de lavagem cerebral, até a maior das agressões verbais não é enxergada. Às vezes é minimizada pelos amigos, pelos familiares, por você mesma. Às vezes é rebaixada ao máximo para até quase parecer normal.
Eu disse quase.
Agressão psicológica não é normal. Não importa o esforço que façam para parecer que seja.

O primeiro passo para se livrar de um relacionamento abusivo, é reconhece-lo como abusivo.
Você não está exagerando. Você não é louca. Esse não é o jeito dele. Ele não estava só nervoso. Ele não faz isso porque quer o seu bem. Isso não é normal de todo casal.
Precisamos parar de tapar nossos olhos para os relacionamentos abusivos e enxergarmos como o que eles realmente são: agressões psicológicas, e nada menos do que isso.

Todo agressor é também um manipulador. Eles não vem com placa, com aviso. Eles nem se reconhecem como agressores, abusadores. Eles farão você aceitar os próprios abusos em que é vítima. Assim, você mesma acreditará e repetirá como um papagaio frases vazias e que nada significam de fato como “a culpa foi minha”, “ele só faz isso porque me ama”, “eu faltei o respeito com ele”, “ciúmes é normal”, etc.

Identificar a situação parece mais fácil para quem está de fora do que para quem está dentro. Qualquer pessoa que já tenha passado por um relacionamento abusivo pode confirmar isso. Na maioria das vezes a pessoa que é vítima de um relacionamento abusivo, não sabe que está sendo vítima de um relacionamento abusivo.

Por isso, pense no seu atual relacionamento, ou em um relacionamento passado que você acredita que possa ter sido abusivo, e veja se você se identifica com algum dos itens a seguir:

  • Ele controla a sua aparência. As roupas que você usa, a maquiagem que você usa, seu corte e cor de cabelo, seu peso, e até o esmalte que você usa. E se você muda algo na sua aparência que o desagrada, ele te humilha, rebaixa e ofende.
    O seu esmalte/cor de cabelo/roupa é coisa de puta.
    Ou você está gorda e tem que malhar mais e parar de comer.
    Ou o corte de cabelo é muito masculino.
    Ou qualquer coisa da sua aparência é motivo para ele te repreender, controlar e ofender, às vezes de forma tão sutil que você nem percebe.
  • Ele a faz sentir indigna de ser amada e que ele é o único homem do mundo que ficará com você. Então ele a faz acreditar que ele é um herói, o melhor homem do mundo, um ser fantástico e glorioso por estar com você, porque você está gorda, ou feia, ou é uma puta, ou tem um passado repreensivo, ou qualquer motivo que ele invente para te rebaixar. E você nunca deve deixá-lo, porque senão não conseguirá arrumar outro homem melhor do que ele.
  • Ele odeia todas as suas amigas e reclama, faz cara feia e cria caso quando você quer vê-las. Para ele, nenhuma delas presta, elas o odeiam, não servem para serem suas amigas e são todas putas.
    E você querer sair com as suas amigas sem a presença dele? De jeito nenhum.
  • Ele a chantageia o tempo todo. Se você faz qualquer coisa que vá contra a vontade dele, ele ameaça terminar o relacionamento, ou ameaça se matar, ou ameaça contar aos seus pais que você não é mais virgem, ou ameaça divulgar suas fotos pelada, ou ameaça se separar e tirar os filhos de você, ou ameaça te fazer perder o seu emprego, ou faz alguma outra ameaça que ele sabe que é capaz de te controlar e fazer com que você aja de acordo com o que ele quer.
  • A culpa é sempre sua. Não importa o que tenha acontecido, ele vai dar um jeito de te convencer que foi culpa sua. Até quando ele erra, a culpa é sua. Você é que provocou, você é que de alguma forma fez com que ele errasse. Você, você, você. Sempre você. Nunca ele.
  • Você nunca sabe de nada. Só quem sabe é ele. Então até quando ele diz que a culpa não é sua, a culpa ainda é sua. Porque você é que aprendeu errado, você é que não sabe o que é correto, você é que é ingênua e burra, você é que é muito nova, ou muito velha. E ele sempre pintará a ele próprio como o seu salvador, mestre, professor, sábio, como a pessoa que vai ensinar você a se relacionar, a se portar, falar, vestir e agir. Porque você não sabe nada disso. Quem sabe é ele.
  • Ele chama submissão de respeito. Então ele faz com que você acredite que se você não se submeter aos caprichos, exigências e controle dele, você o estará desrespeitando.
    Não caia nessa! Controle não é respeito.
  • Ele sente ciúmes até do seu passado. Ele não deixa que você tenha contato com nenhum ex namorado, ex ficante ou ex paquera. Ele não suporta que você fale ou pense sobre suas experiências passadas. Ele até te culpa por você ter tido alguém antes dele. E não importa se antes dele você teve 1, 10 ou 100 outros homens, ele a fará sentir como uma puta, rodada, vadia e impura.
  • Ele mexe no seu celular, diário, computador, redes sociais, etc. Ele não suporta que você tenha a sua individualidade e a fará acreditar que se relacionar com uma pessoa é tomar posse dela. Sendo assim, ele acredita que tem total direito a invadir a sua privacidade apenas porque se relaciona com você.
    Ele lê as suas mensagens, as suas conversas, os sites que você acessa,as suas conversas com suas amigas, e até os seus desabafos sozinha. Ele controla o que você fala e com quem você fala. Ele deleta quem ele deseja da sua lista de amigos. Ele apaga telefones da sua agenda. E ele sempre cria caso com alguma coisa.
    Ele vai dizer que você deu mole pro seu amigo, que você não pode ter esse tipo de conversa com a sua amiga, que você não pode falar sobre assunto X ou sobre pessoa Y.
    Ele manda em você e controla cada passo seu. E a convence de que está tudo bem nisso.
  • Ele pode, mas você não. Ele pode invadir a sua privacidade, mexer nas suas coisas, controlar suas amizades, os locais que você frequenta, as roupas que você usa, a forma como você fala, anda, ri, e todos os outros aspectos da sua própria vida, mas nunca deixará que você faça o mesmo com ele. Vamos concordar que ninguém deveria fazer isso com ninguém. Mas para o abusador, ele tem direito a fazer com você, sem que você tenha o direito de fazer exatamente a mesma coisa com ele. Porque você deu motivos, você não é confiável, você provocou. Já ele, não.
  • Você não pode ter amigos homens. Para ele, todos os seus amigos estão querendo te comer. Todos dão em cima de você. E nenhum é seu amigo de verdade. Você não pode sair sozinha com eles. Não pode nem sequer conversar com eles. Não pode ter amigos que ele não aprove previamente.
  • Ele te liga ou manda mensagem incessantemente para saber aonde você está, com quem você está e fazendo o que. E se você não responde imediatamente, ele pira. Você precisa do aval dele para cada passo que dá. Precisa avisar cada esquina que vira. Precisa estar com o celular sempre na mão para quando ele entrar em contato. E se por acaso você não responder naquele exato minuto, ele dará um escândalo, ele te xingará, ele fará uma tempestade num copo d’água e te fará acreditar que é só preocupação da parte dele, quando na verdade não passa de controle, obsessão e possessividade.
  • Ele acha que pedir desculpas resolve tudo. Ele é todo trabalhado nas desculpas. Quando comete um ato imperdoável que ele não consegue te manipular a aceitar, ele então apela para as desculpas. Ele se declara, promete mudar, chora, liga até pra sua mãe. E você acreditará que precisa perdoar, que precisar dar mais uma chance. E mais uma. E mais uma. E mais… E mais infinitas. Porque por mais que ele peça desculpas, ele sempre volta a fazer a mesma coisa. Por mais que ele diga que vai mudar, ele nunca muda.
  • Ele engana todo mundo ao seu redor. Para os amigos em comum, ele é um amor. Para os familiares, você está exagerando. Ele demonstra em público uma coisa, mas quando estão só vocês dois, ele é outra. Quando alguma coisa acontece, ele corre para contar a versão dele onde ele é a vítima e a vilã na verdade é você. Ele mente, maquia, manipula os fatos para que ninguém acredite que ele é um abusador. Com isso, ele te silencia, te cala. Porque chegará uma hora em que você estará tão farta de ouvir que está louca, que está exagerando, que não deve ter sido bem assim e que ele nunca faria isso, que você não vai mais fala nada para ninguém.
  • Ele faz com que você acredite que a ideia foi sua, quando na verdade foi dele. O abuso dele é sutil. Ele não diz não diretamente para você. Ele não veta declaradamente. Ele na verdade te manipula para você agir exatamente como ele quer e sem que nem a culpa disso caia em cima dele.
    Ex: Você quer sair sozinha. Ele te diz que vai chover, ou que aquele lugar é perigoso, ou muito caro, ou barra pesada.
    Conclusão: você acaba ficando em casa e acreditando que foi porque você mesma quis.
    Você recebe a proposta de um novo emprego. Ele diz que é muito longe de casa. Que você não vai aguentar a pressão. Que a empresa não é boa.
    Conclusão: Você não aceita o novo emprego e acaba achando que foi uma decisão sua.
  • Você é obrigada a fazer sexo mesmo quando não quer. Ele se acha tão seu dono que acredita ser a sua obrigação satisfaze-lo na hora, dia e lugar em que ele quiser. Ele não se importa nem com os seus sentimentos, nem com suas vontades e nem com o seu prazer.
  • Se alguém deu em cima de você, a culpa é sua. Se alguém te deu uma cantada na rua, a culpa é sua. Se alguém veio conversar com você na festa, a culpa é sua. Se alguém te olhou na rua, a culpa é sua. Ele te culpa até das atitudes dos outros. Você não se dá o respeito, você provocou, você queria.
  • Você acha que dando o que ele quer, vai resolver o problema. Você concorda com tudo, aceita tudo, se submete a tudo, porque acha que uma hora ele se sentirá satisfeito, que uma hora o ciúmes vai acabar, que uma hora ele vai confiar em você. Você detesta as brigas sempre tão desgastantes e prefere se anular a ter que entrar em mais uma. E com isso ele vai te anulando cada dia mais, até que não sobrará mais nada de você. Ele já terá tomado tudo.
  • Você mais chora do que sorri. Você está sempre deprimida, você sente como se tivessem sugado toda a sua alma, toda a sua essência. Você não é mais você. Aquela mulher antes feliz, divertida, amiga, receptiva e cheia de energia e vontade de viver, agora não passa de uma mulher que finge que está tudo bem, quando na verdade está morta por dentro.

Se você se identificou com algum item, com algum relato, por menor que tenha sido a identificação, você está em um relacionamento abusivo.

Relacionamento abusivo é todo aquele relacionamento que te diminui, te lima, te corta, te poda. Relacionamento tem que somar, tem que trazer alegria, tem que ser mais, e nunca menos.

Você é sua, e não de qualquer outra pessoa. E você merece ser feliz. Nada menos do que isso.

Se você está agora em um relacionamento abusivo, talvez você também ainda se cegue para enxergar esse fato. Talvez você também repita as desculpas que ele usa para legitimar as agressões psicológicas que a submete. Talvez você também esteja tão fraca e cansada que acha que não tem mais forças nem para sair desse furacão que te dilacera ao menor sinal de reação.

Então saiba que por mais que pareça difícil, não é impossível.

Saiba que você não está sozinha. Você tem amigos e familiares que te amam e estarão de braços abertos para te segurar quando você achar que perdão o chão.

Saiba que você não precisa ter medo. Nem dele e de falar o que você viveu. Não tenha medo do que as pessoas vão falar. Quem tem que sentir medo é ele, e não você.
Você não deve ter vergonha de nada.

Saiba que ele não é o último homem do mundo. Ele não é a sua chance de ser feliz. Ele não é o amor da sua vida. Ele não é, nem de longe, o melhor que você pode conseguir.

E saiba principalmente que a culpa não é sua.
Não importa o quanto ele tente te convencer.  A culpa do abuso é única e exclusiva do abusador. Nunca da vítima.

* Todos os relatos que acompanham o texto foram tirados da página do Deu Ruim ou do meu Facebook pessoal em conversas com leitoras e amigas. 

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: