Coincidência ≠ destino

06/11/2014
Postado por Hudson Baroni

about time

 

Aquele dinheiro que você achou no bolso de trás da calça quando precisava.
O ônibus que chegou bem na hora que você chegou no ponto.

Chame de coincidência. Chame como você quiser.

Eu acredito em causa e efeito. Ação e reação. Efeito borboleta (sim, tipo o filme mesmo).
Uma única ação cria uma grande sequencia de ações que chegam a um resultado inesperado. E no final você fica com cara de idiota pensando “Nossa! Que coincidência! Como a vida é incrível/horrível comigo!”

As coisas acontecem baseadas numa sequência de ações sem proposito que vieram antes dela. As coisas simplesmente acontecem, né?
Mas a gente sempre tenta dar motivos pra tudo, achar razão e lógica pra tudo.

Pra quê?

“(…) moleque, sabe aquela social de ontem que você furou comigo? (Cara, eu nem confirmei que ia). Ela tava lá. (E você não sabia que ela ia? Valeu…). Não, juro. Não olhei o evento no Facebook, só fui. E nem era de amigos em comum, muita coincidência ela estar lá. (Pois é, muita coincidência, né… O que aconteceu?) A gente se esbarrou algumas vezes mas estávamos em rodas de amigos diferentes. Nem ia falar com ela, nada a ver. Fiquei na minha trocando ideia com o pessoal, tentando não pensar que ela tava ali. Tava levando de boa e me controlando pra não fazer nada. Dai na hora de ir embora uma amiga minha pede carona… e ela veio junto! Porra! (hahaha e você deu, claro). Claro! Vou falar o quê? Ela ficou toda sem graça quando viu que a carona era comigo, mas veio mesmo assim. (Perai, qual foi a ultima vez que vocês se falaram ou se viram?) … Que eu me lembre… Umas 5 vezes, sei lá. (5 vezes? Por coincidência? Continua…) … Bem, lembro que passei por ela no shopping uma vez, ela tava com um cara. Outra vez na Lapa. Uma vez na fila do cinema também… Mas tem um tempo que não nos falamos, só essas visões aí do nada. (Entendi… dai você deu carona pra sua amiga e pra ela e ficou o tempo todo sem nem trocar um “oi”?) Então, cara… to te mandando mensagem com ela aqui do meu lado na cama. Ela dormiu aqui! (hahaha a vida é foda, né?)”

Acredito que as coisas simplesmente acontecem, sou racional.
Não acredito em coincidências quando se trata de pessoas, sou passional aí.

Eu acredito em destino.
Acredito que nada é por acaso.
Talvez várias “coincidências” aconteçam com você e seu outro alguém.
Não foram sem motivo.

Você pode não entender agora. Você pode ficar puto agora.
Pode achar que teve uma grande perda agora.
Mas em algum momento as coisas farão sentido.
Lá na frente.

Ok, essa é a parte que fico meloso, tá bem?

Eu acredito que as pessoas possuem destinos. Cada um com o seu.
Claro, a gente nunca sabe o nosso. Talvez a gente nem perceba quando finalmente chegar no nosso destino.
Mas a gente, secretamente, anseia que nosso destino cruze com o destino de alguém.
Todo mundo.
Ninguém quer ficar sozinho.

Me recuso a acreditar que o destino de alguém seja ficar só. Não é certo!

Conheço pessoas bem resolvidas e que curtem sua “independência de não precisar estar numa relação”. Respeito.
Conheço pessoas que pulam de relação em relação, parece que não conseguem se ver sozinhas. Respeito também.
Mas quando é pra ser, é. E é melhor você nem tentar reagir.

Porque vai chegar o momento de você se apaixonar por cada maldito defeito daquela pessoa perfeita. Cada mania irritante vai se tornar seu TOC preferido de assistir. Cada mensagem recebida vai ser um frio na barriga novo.
E aí você vai perceber que o destino pode estar batendo à porta, deixa ele entrar e “não repare a bagunça”.

Uma parte incrível (e igualmente assustadora) da vida é “a busca por encontrar alguém”, que caminha lado a lado com “à procura da felicidade”.
Ter alguém pra andar contigo na direção do seu destino.
E você, na direção do destino dele.

Conseguir isso.
Conseguir isso deve ser o destino de todos.

Porque, na boa, respeito você, amiga independente que não precisa de ninguém, mas realmente é impossível ser feliz sozinho…

Eu nem quero que a gente tenha o mesmo destino. Não precisa.
Só quero ser testemunha do seu destino, e que você seja testemunha do meu.

Mas e se acontecer de a gente não percorrer o mesmo caminho durante a vida, bem, azar da vida.
Porque eu sei que vou te encontrar quando chegar no meu destino.

Estaremos juntos, afinal.

 


*A imagem de capa é cena do filme Questão de Tempo (About Time). Assista, porque não é só mais uma “comédia romântica”.

 

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: