Às vezes a gente vai embora

19/07/2017
Postado por Geane

“Eu prometo que sempre ao olhar as estrelas
eu lembrarei do brilho de teus olhos
E do quão maravilhoso é o sorriso teu […]”

Eu prometo nunca mais sumir.
Eu estava ali o tempo todo, só não era capaz de enxergar, só não sabia como falar, só não tinha jeito para explicar.
Às vezes a gente vai embora, mesmo essa não sendo a nossa vontade.

Eu prometo nunca mais sumir, não que a minha companhia seja lá grande coisa, mas vou ficar por aqui, por perto.
Prometo manter as portas do peito abertas, mesmo sabendo que, num simples vacilo, alguém pode entrar só pra bagunçar o que já está revirado, mesmo sabendo que o vento frio que sopra lá fora pode me trazer um belo resfriado, a vida tem dessas.

Eu prometo nunca mais sumir por que já me mostraram, na prática, o quanto dói quando alguém some.
Prometo ficar, mesmo que seja de longe, observando um sorriso, aparecendo de surpresa para secar uma lágrima, para olhar você tagarelar sem me preocupar com a correria do tempo.
Prometo bancar a boba sempre que for preciso (eu não preciso me esforçar muito para isso).
Prometo gritar, se necessário; chorar, calar, rir, pular, brincar, sorrir.
Promessa de dedinho.

Eu prometo nunca mais sumir.

Os textos deste site pertencem exclusivamente aos seus autores e estão protegidos por copyright. É proibida a cópia integral ou parcial do seu conteúdo, sem a autorização prévia do autor, mesmo que citando a fonte.

Deixe seu comentário: